domingo, 23 de maio de 2010

Citações avulsas (4)

“Pensa-se que memória é a faculdade que nos permite lembrar de fatos e coisas do passado; ter memória é ser capaz de evocar o que já ocorreu e se foi. Mas acabo de perceber que não é só isso: a memória é constitutiva do presente, é parte dele.”

“... é próprio dos poetas descobrirem o que já sabemos, mas esquecemos ou não lhe demos a devida importância.”

“O poeta é aquele cara que se surpreende com o óbvio e, ao fazê-lo, torna-o surpreendente, pelo menos para si mesmo.”

“(...) E ainda: a memória não apenas nos permite fazer por já sabermos como nos ajuda a descobrir novos modos de fazer, corrigindo o sabido, e assim engendra o futuro.”

“Suponhamos que vou escrever um poema que, porque ainda não o escrevi, não sei como será: estou entregue ao jogo do acaso e da necessidade. O tema é o sorriso da moça que vi na rua, há pouco, e de que me lembro ainda; é, portanto, memória, passado, mas o poema por fazer é o futuro – futuro que, sem o sorriso lembrado, jamais seria inventado.”

“A vida é também lembrar sem se dar conta disso.”

“A memória me permite inventar o futuro de que me lembrarei, como passado, futuramente.”

Fonte:

GULLAR, Ferreira. Surto filosófico. Folha de S. Paulo. Ilustrada de domingo, 16 de maio de 2010, E10.