domingo, 9 de maio de 2010

Homenagem às Minhas Amigas-Mamães

São Paulo, 09 de maio de 2010


Aos Meus Contatos do Sexo Feminino


Minhas Amigas-Mamães:


Não poderia me esquecer de prestar a devida homenagem a vocês nesta data tão celebrada que é o Dia das Mães.

Por isso, aceitem aí meus sinceros parabéns, madres caríssimas!

Contudo, meus parabéns não são suficientes; faz-se necessário esmiuçar minhas sinceras felicitações. Preciso expor, descaradamente, mas com certo pudor, minha admiração por vocês. Vamos lá então.

Admiro a perseverança quase xiita que vocês empregam diariamente no trabalho; o punho firme feminino é, sem dúvida, a razão do progresso que estamos presenciando. Admiro também a firmeza aliada ao carinho na criação da prole. Essas criaturinhas serão seres humanos maravilhosos graças a vocês, mães zelosas e vistosas! E, se “ser mãe é padecer no paraíso”, vocês certamente demonstram isso com muito orgulho e despudor. Fazem com que eu, mero fã, fique encantado, deslumbrado e bobo diante de tamanha beleza naturalmente feminina. Seus corpos podem ser aparentemente frágeis, mas comportam uma alma imensa, que não cabe no corpo sinuoso e macio, e tal dádiva celeste é sutilmente perceptível quando vocês sorriem um sorriso perolado hipnotizante e quando os olhos seus, marejados, tremeluzem numa manhã de sol... Vocês exibem uma bela arcada dentária, vertem cálidas lágrimas e continuam deslumbrantes, atraentes, deusas, magníficas mamães!

Admiro-as tanto que filho de vocês gostaria de ser. Posso ser um reles amigo, mas fui muito bem tratado por vocês, e as agradeço por isso. Testemunhei seus carinhos, suas conquistas e suas broncas, picuinhas... Acredito que toda mulher é uma mãe, e o que a faz lidar de um modo com um “filho” e de outro modo com “outro” tem haver com o nível de afeto. Sim, toda mãe tem seus prediletos! Não adianta replicar, bem sei. No entanto, o afago materno é formidável, convenhamos, e vocês o esbanjam. Sou um privilegiado, pois pude saborear um bocadinho da carestia, da caridade de vocês, minhas caras amigas-mamães.

Aceitem aí também um forte e demorado abraço e um beijo casto na face - prova cabal do apreço que um filho sente verdadeiramente pela sua Mãe. O beijo filial é a recompensa máxima para uma Mãe inesquecível.


Cordialmente,


Bruno Rodrigues de Oliveira


P. S.: E quanto a você, minha cara, que recebeu este e-mail, mas num tem (ainda) um primogênito se quer, não o estranhe, pois, como disse acima, tu já és uma Mãe! Uma Mamãe formosa e estonteante. Acredite.