domingo, 29 de agosto de 2010

Memórias, notas e idéias

- Eh, veja bem, se escrevo é mais para acalmar o meu espírito. Estou sempre irritado, incomodado com alguma coisa ou alguém; daí o adjetivo “perturbada” do subtítulo. Se escrevo é mais como uma terapia pautada, sabe? Quando escrevo, consigo me livrar das coisas que me atormentam e, assim, me acalmo, sossego o facho, e percebo melhor o que passa na minha cabeça inquieta. Escrever é um ato de redenção. Escrever me ajuda a descobrir coisas ocultas, me ajuda a tornar nítidas idéias imprecisas, vagas, embaçadas... Ao projetar minhas frustrações nas laudas pálidas desvendo o mistério que me cerca. E isso é muito prazeroso! É uma descoberta linear a cada palavra invocada. Assim, publico aqui tudo que me vem espontaneamente. E se qualifico minha mente de “tarada”, por favor, não me leve a mal, o “tarada” aqui é sinônimo de interessada, que denota atenção mesmo; significa também amalucada, anormal, desequilibrada, lunática. Me identifico com esses adjetivos, não sei bem porquê. O sentido vulgar, jocoso é mais um acidente semântico; não foi intencional, juro. Blog é assim mesmo. Expomos o que pensamos e esperamos que nossas idéias tenham ressonância, eco por aí afora. Na maioria das vezes só recebemos silêncio. Comentários são raros, pelo menos no meu é, e isso me incomoda. Careço de comentários. Quando há um fico em êxtase! Aprecio críticas e elogios. Devoro-os com avidez. É gratificante quando outro ser humanóide ti escreve, ti responde, afinal, tal prática, tal forma de carinho, demanda tempo, e de tempo, ultimamente, pouquíssimos usufruem. Daí o alto valor que lhe atribuo. Agora, voltando ao título deste post – Memórias, notas e idéias. Aqui, no blog, misturo minhas memórias com o presente que vivo. Quando a Inspiração surge por acaso ou quando caso a invoco desesperado, mesclo ficção com fatos. Todos os textos cá publicados são híbridos. Têm um pouco de mim mesmo e de outros por mim presenciados. É tudo inventado, mas com referências palpáveis, entende? Quanto às notas, tenho o hábito de ler – leio muito – e, acho bacana fazer referência a alguns textos que andei lendo. Publico trechos que acho interessantes para meus leitores vindouros. Por que trechos? Ora, hoje em dia se lê textos curtos, curtíssimos. Veja aí os microcontos e os textos do microblog fenômeno. O poder de síntese é algo essencial atualmente. Trabalha-se com limitações, o tempo à leitura ficou mais curto. O tempo é destinado a outras tarefas de cunho mais financeiro. Por isso publico trechos, por isso publico mensagens instantâneas (torpedos) que envio via aparelho portátil. Há um mundo de sentidos, de possibilidades por traz dessa literatura contemporânea! E eu estou acompanhando essa tendência, ou, ao menos, tentando acompanhar. Seguidores? Bem, no momento tenho três, não sei ao certo se eles me lêem com freqüência, mas, suas fotos estão aí, e tenho profunda estima por eles. Os que têm blog, eu os sigo. E tento comentar suas publicações semanalmente. Eh, comentar em blog alheio também é uma boa maneira de se promover e de se fazer boas descobertas, claro. Sigo poucos blogs, é verdade, mas leio todos! E só sigo blogs que me estimulam, me inspiram. Sou muito exigente quanto as minhas leituras periódicas. Aprecio bons textos, boas idéias. Tu tens aí uns e umas pra me recomendar?? –