sábado, 18 de setembro de 2010

Protopoema

Quem pode me amparar? Ninguém.
Estou sozinho; e para sempre estarei.
Não há alguém para caminhar
ao meu lado. Sozinho. Rejeitado.