sábado, 2 de outubro de 2010

Campanha de Castração

- Sei lá, meu velho, a campanha eleitoral de hoje tá uma zona só, entende? Os candidatos tão mui parecidos uns cos outros, não sei quem é o melhor, e se existe um melhor. Acho que vou votar no menos pior que tiver aí. Mas tão todos tão iguaizinhos, tão maçantes, tão assessorados, sabe? Eles não nos apresentaram algo autêntico nos debates televisivos aí vistos. Deu pra perceber que eles se planejaram bem, mas não vi espontaneidade, não vi serenidade, tampouco simpatia, que, hoje em dia se sabe, é essencial, quase coisa de decisão de turno, um candidato ter. Admito que estava otimista quanto a esta eleição. O país tá bem, tá se desenvolvendo, a economia cresce, dizem por aí. O nosso país é, finalmente, um país sério. E ainda será sede de grandes eventos esportivos e políticos daqui uns anos. Mas, o que ouvimos por aí nesses debates sem embates? As mesmas ladainhas, as mesmas coisas de sempre, e do mesmo jeitinho. Não sei você, mas eu queria ouvir novidades, queria ver criatividade, eu queria sentir serenidade quanto às questões atuais, mundiais. Não ouvi, não vi, nem senti nada assim. A política do nosso querido país virou um circo gratuito de péssima qualidade. Por isso foi tão indigesto acompanhar as eleições deste ano. E, agora, quando eu estiver frente a frente com a bendita urna-eletrônica, nem eu mesmo sei o que poderei fazer. Sinto-me perdido, decepcionado, desiludido. Parece até que arrancaram algo de mim aos poucos, pra não doer muito, algo que me mantinha otimista, animadinho, sabe? Perdi o ânimo. Será que esse era o plano deles, acabar com o nosso gosto pela Política?? Ou será que a Democracia virou um meio de consumo, um meio pelo qual uns ganham visibilidade (feroz), outros dinheiro (muito dinheiro) e nós, humildes cidadãos, mais e mais aporrinhações??? Tão é castrando a gente, isso sim! Tão castrando a nossa moralidade em nome da economia alheia. Eh isso, meu velho. E tu, o que achas?