quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Uma desvantagem de emagrecer

Não estranhe o título. Sei mui bem que as bancas de revistas e os programas vespertinos da tevê pregam periodicamente as inúmeras vantagens de perder peso, mas eu não quero falar disso, pois, como é óbvio, já se fala por aí afora, e muito! Cansei de ler e ouvir papo sobre alimentação saudável, sobre prática amadora de alguma atividade física e sobre todo tipo de excesso que deve ser evitado. Já absorvi essas coisas. Já mudei minha educação alimentar e física. Já não pratico os tais maus-hábitos. E, por ser bom aluno, solidário com esses preceitos doutrinários, acabei me arranjando um probleminha, uma desvantagem de emagrecer. E qual seria esse probleminha, essa desvantagem?? Bem, o problema é a calça, ou melhor, são as calças jeans. Bem, eu vestia o fatídico número quarenta e quatro. Eh, eu era grande. Hoje em dia visto o raro número trinta e oito. Digo raro porque é mui difícil comprar esse número. Caro leitor, se tu encontrares tamanho achado, considere-se com uma baita sorte e, se possível, guarde-o para mim, sim? Depois acertamos o envio e o pagamento. Mas se quiseres dar-me de presente. Agradeço-lhe desde já. Além dessa dificuldade, há outra, a mais grave: as calças antigas. O que fazer com elas? Infelizmente as calças não emagrecem junto com a gente. Ainda usá-las? Sim, eu ainda as uso e passo mó aperto, quer dizer, passo mó folga com elas. Estão sempre caindo. E tenho que levantá-las sempre. Muito constrangedor isso. Tenho que ficar sempre com uma mão no bolso, segurando a calça de forma discreta, entende? Meu receio de ficar apenas de cueca no meio da rua é eminente. E teve vezes que isso quase aconteceu. Baita susto. Já mandei pregar umas calças aí, mas não adiantou muito, não. Ou eu continuo emagrecendo (de forma crônica), ou as calças é que estão engordando silenciosamente no meu guarda-roupa. Devo comprar uns suspensórios? Isso ainda existe?! Não sei. Talvez. Será que eu ficaria menos desengonçado com os suspensórios? Bem, ao menos minhas mãos ficariam livres, né? Vou pensar mais nessa possibilidade, nesses acessórios excêntricos. Bem, o leitor, sem dúvida, estará se perguntando agora: - Por que esse cara doido não usa um cinto logo? Veja bem, meu caro, sou alérgico às fivelas. Minha pele não se dá com o metal. Feridas horríveis surgem do contato direto entre os dois, por isso recorro a outros métodos pra assegurar a altura ideal das minhas calças. Eh, nós, ex-gordinhos, ou nós, novos magros, tentamos nos adaptar perante a segunda década do século vinte e um.