domingo, 19 de junho de 2011

Conjecturas ou uma parábola sobre o escritor de hoje

E é por isso que considero o escritor de hoje, o escritor do século vinte e um, como aquele corredor de Itaquera. Pois ele, só se exercita à noite, depois que chega do serviço enfadonho, mas obrigatório para sua sobrevivência. Ele prefere a companhia da Lua em vez da do Sol. E mesmo que há, onde costuma correr, uma calçada no canteiro central, espécie de ciclovia, curte correr ao redor desta, no acostamento mesmo, mas no sentido contrário, literalmente na contramão, prefere ter os carros a sua frente do que na retaguarda. Não sei se é estratégia ou insanidade, mas é assim que ele faz. Talvez se sente melhor assim, vendo os automóveis virem de encontro a ele; às vezes uns quase o atropelam, buzinam, contudo, acho, que a maioria dos motoristas o entende, respeitam-no. Não existe um espaço próprio para ele, por isso ele o cria, invadindo um espaço pouco utilizado. E está sempre só, nunca o vi correr com alguém. Será por opção ou não há alguém para correr junto dele? Não sei. Mas solitário ele é. E metódico, pois sempre faz o mesmo treino: faz uma meia volta como espécie de pré-aquecimento, depois uma volta completa de aquecimento, depois duas voltas rápidas, depois meia volta de descanso - essa ele a faz andando -, depois mais uma volta de recuperação e, finalmente, uma meia volta de recreação – ele sorri, às vezes. O cara, aparentemente, corre muito! E faz isso, pelo menos, umas quatro vezes na semana. Ele leva o treino a sério. Só para pra se alongar. E quando termina de se alongar, anda, até sua casa, curiosamente, pela calçada central, outrora ignorada. O que será que ele quer dizer com isso tudo? Definitivamente é um mistério, até para mim que o acompanha. Bem, acho que ele faz isso por gosto, ou por alguma necessidade que lhe é intrínseca, ou ainda por alguma ideia fixa. Enfim, é de cunho pessoal, uma manifestação física que acalenta sua alma. É um desabafo solitário. Um monólogo para quem quiser ver, ouvir e sentir estima. É algo autêntico, isso é fato, e graciosamente original.