quarta-feira, 8 de junho de 2011

Uma pegadinha

E ela se segurou no meu braço. Quase caiu depois que o trem deu aquele popular solavanco, mas não, segurou no meu braço com força, deu até um gritinho. E só. Não disse mais nada, nem um obrigadinho acompanhado dum sorrisinho acanhado. Que nada! Continuou com aquele fone no ouvido; pros lados não olhou, cabisbaixa ficou. Essas moças de hoje não sabem mais agradecer ou se desculpar. Até pra paquerar ficaram meio que tontas. Perdem cada oportunidade de ouro pra tirar o atraso ou curtir um bom-bocado. Cadê as meninas espertas? Cadê as educadas e as mais ousadas?? Mulher com ‘M’ maiúsculo tá difícil de ver, só vejo cada mulherzinha por aí.