segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Fragmentos do cotidiano (7)

- Ah, meu amigo, esta sociedade que presencio anda cada vez mais interessante. E quando digo sociedade, estou com a vida em sociedade em mente, mais precisamente com a relação amorosa em foco. Veja aqui ao lado um bom exemplo. Repare bem no jovem casal aqui ao lad0. E tente não olhar por muito tempo as pernocas da menina. Tá certo que ela tá com um micro-shortinho, mas, caro amigo, ouça bem. Eles estão discutindo a relação deles. Trocando altos papos sobre a relação intima deles com os familiares de cada um. Papo sobre sogra, irmã e primo, essas coisas, entende? Agora, veja lá que coisa interessante. Eles estão um de frente pro outro, entre eles apenas uma garrafa de cerveja. Legal, né? Casal moderninho discute a relação assim, em uma mesa de bar. Não bota fé, não? Acha qu’eu tô bêbado demais, é? Bem, antes de ti dar outro bom exemplo, vou chamar tua atenção pra outra coisa muito interessante. Sabe essa mina de shortinho? Então, repare bem como ela bebe a breja. Olha lá que gracinha. Ela bebe segurando o copo com as duas mãozinhas, feito bebê com mamadeira, manja? Coisa linda, não? Dá até uma boa estória isso aí. Mas, estou divagando alto, vamos pro outro exemplo qu’eu ti prometi. Olha lá praquele casal do balcão. Estão se pegando ali mesmo, coisa excitante de se ver. E, arrah!! Há também uma garrafa de cerveja entre eles. Se pegam e bebericam uns goles, cada qual no seu copo, e voltam pro corpo doutro. Opa! Não tô querendo sustentar aqui uma tese de amor alcoólico no presente século. O que eu quero é outra coisa! Veja. Eles estão indo embora, apegadíssimos. Paixão louca assim tá cada vez mais rara de se ver, né não? Enfim, dá uma boa olhada pro balcão. Rápido antes que o garçom apareça! Viu? Num relacionamento amoroso de hoje, o que sobra é isso aí que você tá vendo bem e nitidamente: dois copos vazios com uma garrafa de cerveja igualmente vazia entre eles. Parece até propaganda, né? É triste isso sim. Eh... Vamos pedir mais uma?!?