terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

BIGORNA ESPELHADA

:

caído no teto me vejo suspenso no chão

com a mão direita faço a conversão à esquerda

do trapézio pulo fulo até o centro da alfazema

maizena não se escreve com z

maisena com s é mais gostosa

é no umbigo sujo que orbita a língua assassina

sou mais feliz na lama do que na fama em dias quentes

se for pra morrer na neve que seja numa nevasca de alcaçuz

posso ser realista mas é a fantasia que me seduz

estão dizendo por aí que ela não está assim tão afim de mim

digo apenas:

passa pra cá o lubrificante, pois vocês estão carecendo dum aipim!

na falta da dita cuja atinjo e tinjo em cheio o estofado rubro da vizinha ruiva

turvo, uivo,

madorra

e passar bem

Alice

sem alicerce

apenas chafariz

...