sexta-feira, 8 de março de 2013

As despudoradas aventuras de Travessão - o gostosão - e Virgulinha, o que não faz nem cóceguinha

[musiquinha de abertura]



Booom dia, mulherada!!
Eaê, brotos e biscoitos do meu brasilzão!!
Eu sou o Travessão, o gostosão.
E eu sou o Virgulinha, aquele que não faz nem cóceguinha.
As moçoilas aqui presentes não conhecem a gente.
Por isso, nos apresentaremos de imediato a todas essas belezuras pegáveis que nos assistem.



[musiquinha de fundo: qualquer uma naquele naipe de programa infantil que passa na televisão de manhãzinha  Geralmente é uma música besta e que gruda fácil na cabeça]



Eu sou o Travessão, o gostosão, que todas as mulheres amam de paixão!
Se sou bonito, bonitão, não assumo, não.
Deixo as pequenas gritarem pra mim e curto muito tudo isso.
Tenho barriguinha tanquinho e não me intimido,
Permito que as gurias afoitas, as mais atiradas e excitadinhas
Esfreguem suas calçolas nos meus gominhos macios e definidinhos!

Eu sou o Virgulinha, o que não faz nem cóceguinha,
Mas que encanta as assexuadas e as enrugadas,
Essas que não pensam ou desejam a cada hora que passa
Uma rola bem grossa entre as perninhas finas.
Se sou educado ou meio afeminado,
Digo logo pras menininhas que sou é muito é macho!
Me machuco fácil, e daí?
O pinto pequeno é só um detalhezinho daqui [foco na pélvis do Virgulinha].
Sou é príncipe encantado,
Enterneço e não toro ninguém de quatro,
Meu campo etéreo é o emocional.
Mas no anal encosto sim o meu pau!



[aqui os dois fazem uns passinhos combinados, lembrando ou dando claramente pra ver que eles ensaiaram MUITO a dancinha que apresentam. Pode ser uma dancinha meio gay mesmo]



O Travessão aqui tem pegada!
Sabe domar a fêmea necessitada.
Não fico de cu-doce na balada.
Pego a mina e as amigas da mina sem-graça.
E tô me lixando pras picuinhas areadas!

O Virgulinha aqui é parceiro.
Não frequenta puteiro e é fiel.
Não fica com receio de dizer o que sente.
Sou um pequeno presente.
Digo tudo o que deve ser dito,
Tim-tim por tim-tim.
Posso ser tímido, mas sou decente.
Indecente é o meu amigo Travessão!
Carente, mas sorridente é o Virgulinha.



[aqui começa o Travessão falando dele mesmo na terceira pessoa]



O Travessão coleciona calcinhas.
Sempre está disposto pro vâmo-ver.
Na Hora H é sem frescura!
Se elas metem o dedo,
O Travessão aqui nem liga,
Depois ele arregaça a tipa,
Sem dó nem piedade.
O Travessão não liga pra idade,
Mas deixa todas que pega
Em estado grave!
Umas até já foram pro pronto-socorro!!
Umas desmaiadas, outras meio inconscientes,
Umas até de cadeira de rodas, deficientes,
Outras marcadas, com feridas feias,
Outras até cheias de hematomas,
Mas todas saíram satisfeitas e
Sorridentes ao leite quente!!



[aqui Virgulinha banca o coitadinho, mas visivelmente sacana]



Já eu, o Virgulinha, que não faz nem cóceguinha,
Mas que é o sonho de genro pra toda sogra interesseira e fuleira,
Sou é muito cordial!
Posso não ter um pau
Satisfatório pro mulherio mais guloso e exigente
De ultimamente,
Mas faço graça e rir qualquer mulher aí deste continente!!
Não me martirizo, puxa vida!
Só sou pequenino, ora pois.
Tem menininha por aí que acha bonitinho o meu bichinho.
Dão até uma chupadinha, uns beijinhos no meu menininho.
Não sou de humilhar, maltratar;
Sou carinhoso, não dou bofetão;
Sou daqueles que sabe como agradar a mulher de então.
Se meu pinto é pequeno,
Minha carteira cheia é o recheio
Que faz as damas e princesas
Lamberem os beiços.
Mulher gosta é mesmo de dinheiro!
Quem gosta de pica grande é um puta dum viadinho!!



[aqui os dois começam a cantar juntos. Sim, eles estavam cantando, acredite]



Somos as duas faces da mesma moeda,
Somos homens desta era pós-moderna,
Somos objeto de consumo
E de culto.
Nós dois somos o homem do futuro,
Nós dois somos o novo arquétipo do homem resoluto!!
Quem manda na bagaça agora,
Quem bate o pé antes do ponta-pé na bunda ou
Do soco no meio das fuças
É a mulher!
É ela quem reina e dita o que quer!
A gente é prova real que a mulher conquistou seu espaço de direito.
Perdemos a guerra indireta dos gêneros!
Os homens, agora, são só os escravos de suas infinitas vontades.

E querem saber porque nós cedemos a essas coisinhas assim facilmente??

Bem, a gente tá feliz assim, ué.
Não queremos mais nada!
Estamos satisfeitos pra caralho!!
Uma revolução dificilmente ocorrerá...
Agora a gente se despede desde já,
Pois nossas esposas estão a nos ligar.
E se a gente não atender
Vai ser aquela merda...

Tchau, tchau, mulherada gostosa!
Até amanhã de manhã, minhas queridas senhoras!
Um beijo na bunda, do Travessão!!
Outro na vulva, do Virgulinha!!



[musiquinha tema do término, créditos sobem e logotipo fixo ao fim]