sábado, 16 de março de 2013

Um dia perdido


Deu branco. Travei. A Inspiração não vem e eu aqui paralisado. Duro por fora e oco por dentro. Vazio. Sem ideia. Apenas pensando/escrevendo a esmo. Sem sentido ou um destino visível. Plausível já seria lucro, mas tô duro, insosso, infértil e desprezível. Me falta fonte pra beber e nadar sobre. Não consigo discorrer sobre nada. Não nado, boio. Se eu quisesse me afogar, me aprofundar, não poderia, pois me falta matéria-prima, fonte obrigatória, mar aberto... Só mesmo este tema que escorre escorregadio sobre as pautas, que são raias, na folha branca do caderno ou na tela leitosa luminosa do monitor... Não vejo saída. Estou sem saída. Só me resta esvanecer...