domingo, 11 de agosto de 2013

PÓVULOS SOLARZÓIDE

Foto: @dennisstever


Ontem, eu sonhei contigo
Sim, você estava comigo
De mãos dadas nós dois estávamos
Sim, estávamos atados

Caminhávamos sozinhos numa estrada
Essa, não era asfaltada
Tampouco negra como a noite
Caminhávamos sobre gelo seco
Vapores
E tudo ao redor desta estrada era ermo
Árido feito feno

Lembro que chovia
Mas o que nos envolvia não era água
Pois, o que nos cercava, não era transparente
Era algo mais de prata, reluzente
Eram pequenos filetes
Afiados
Que caiam apresados sobre a gente
Torrencialmente
Eram giletes, milhares
Eram bilhões de agulhas
Eram ferimentos incalculáveis a cada passo
Dado
...

Sim, meu amor,
Caminhávamos nus (em torpor)
Completamente ensanguentados
Mais ainda ligados
Andávamos a passos lentos, pesados
Compassados
Aparentemente despreocupados
Caminhávamos em direção ao Sol
...

Sim, meu querubim,
O Sol não estava ali
No céu do sonho
Ele estava resplandecente
No chão, convalescente

Lembro-me que parecia que
Andávamos já a um bom tempo
Fiquei com essa impressão
Quando acordei de supetão
Não sei te explicar
Direito
Mas acho que vi suor, vi estafa
Em nossos corpos,
Carcaças empapadas de sangue
Coagulado
E seco

Recordo-me que chegamos juntos ao Sol caído
Tadinho!
Ele estava aos nossos pés,
Agonizante
O recolhemos do chão a quatro mãos
Com muito cuidado e atenção
Coitado!
Tão fragilizado Ele estava
Fizemos carinho n’Ele,
Se bem me lembro,
Acho que foi isso sim
Que se sucedeu
...

Depois disso,
Eu O deixei contigo
Você O ninou, acalentou-O,
Suspendeu-O acima de si
Olhou fixamente para Ele
E depois para mim,
Lançou-me um olhar malicioso,
Do tipo de quando alguém toma uma decisão definitiva,
Sabe?
E vi:
Sua mandíbula se abrindo de um jeito estranho,
Desproporcional,
Exagerado,
Você O engoliu,
Meu amor,
E por inteiro,
Nem mastigou
Nem nada
Parecia uma serpente quando come
De vez
A sua enorme presa suculenta
Desesperada

E foi aí que eu acordei
Assustado
Preocupado de imediato
Com o que eu tinha sonhado
Presenciado
...

Ontem, sonhei contigo
Sim, você estava comigo
Por isso, eu desconfio
Que você me esconde
Um outro filho!

Queira oxalá que não seja mais um natimorto!
Como sempre os são os de agosto

...