quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Repouso poético

Sobre as folhas douradas que caem
Com o vento,
Com o tempo,
Antes de setembro,
Eu me lembro...

São todas folhas secas,
Sem vida,
Indo de encontro
Ao chão.

São folhas,
Ainda assim,
Caídas,
Que brilham,
Ninam
Derrotadas
Rumo ao chão,
Que não é ilusão,
É concreto
Cinza
Sujo
Cheio de
Folhas secas
Não mais douradas
Inanimadas
Sobre uma calçada por limpar