domingo, 17 de novembro de 2013

Soneto aparente do marido honesto

Amor da minha vida,
Amo-te assim em desvalida,
Quero-te assim toda imperfeitinha!
Não me faça essa cara de emburradinha.

Você, como ninguém, exibe bem as coxinhas,
E daí que elas estão avariadas,
Todas sulcadas a ver varizes??
Te amo assim em cicatrizes!!

Meu bem, não faça caso,
Você é linda de barriguinha
E de pés inchados!!

Você, amor meu, é minha mulherzinha,
Minha esposa querida e amante fiel,
Deixe de besteiras e me dê logo uma bicotinha!!