quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O vampiro dos olhos verdes (2)

Eu os vejo no parque a brincar
Parecem me ignorar
Mesmo eu os observando constantemente
Eles parecem contentes
Mesmo esses quase sem dentes
Suas gargalhadas explodem feito pólvora –
Se alastram rapidamente pelo ar,
Pois insistem em brincar, brincar
Eu os observo e me sinto bem
A felicidade inocente deles
É meu alimento de hoje
Amanhã já não serão mais tão inocentes,
Mas ainda me serão úteis
Para este que vos diz indecente.