segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O lamento da periquita desquitada

Oh! Desejo meu este que não se aplaca,
Que teima em queimar minha carne fraca,
Que aprecia se aquecer em dias quentes
E transpirar gostoso nos de enchente!!

Desejo meu este que não me deixa dormir,
Que me faz amarrotar a cama
Sem cúmplice algum porvir,
Sem viv’alma sequer pra dizer que me ama...

Oh! Mas que vontade louca é esta ao acordar
Desse Desejo sem fim e enfermo??
A Fantasia é pior que este meu Desejo!

Ela invoca a minha sina ao recordar
De dias felizes junto a seu leito –
Eu ainda morro de vontade quando te vejo!!