quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

TENDÊNCIA AO TÁRTARO

Sou ser de mergulhos profundos...
Meu reduto fica em recônditos escuros.
Não sou de planar sobre a superfície
E nem sou de ascender à claridão.

Nas trevas encontro a Verdade,
A Verdade que poucos sabem e querem ver.
A mentira é rasteireirosa
E se esparrama úmida no alvorecer.

Tendo ao Tártaro desde pequeno,
Sempre fui sozinho sem quem me querer bem.
Nunca fui de me envolver,

Mesmo quando já grande feito gente.
Minha conduta é tipo uma luta primordial.
Sou de outros tempos, por isso esse meu carma ancestral.