quinta-feira, 27 de agosto de 2015

dividido

Foto: Bruno Oliveira (Jardim Botânico de São Paulo)


e de repente
você se vê
parado pensante:

por aqui?
ou
por ali?

por qual caminho eu devo seguir?

à direita?
ou
à esquerda?

por onde eu for, vai dar treta??

não sei...
nunca sei na verdade
só sei que devo continuar seguindo,
deixando um pouco de mim pelo caminho.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

IMPERATIVOS MODERNOS PARA SE FAZER SUCESSO

SEJA MAGRO
NÃO DÊ TRABALHO
SORRIA SEMPRE,
MOSTRE-SE CONTENTE,

Mesmo sem dente.
NÃO FIQUE EMBURRADO
Tristeza não dá audiência,
A não ser que seja consequência

DA VIOLÊNCIA.
ZOMBE DE TUDO,
Até de si mesmo

ESQUEÇA O RESPEITO
CARREGUE O CELULAR JUNTO AO PEITO
SEJA COMO TODO MUNDO, um zumbi sem rumo

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Do meu processo (1)

Acho que, o mais importante, é escrever sempre com um foco em mente, mesmo que ele não esteja nítido o suficiente para você vê-lo claro e límpido bem na sua frente. Escrever demanda tempo, disposição; na maioria das vezes que você se dispõe a escrever, ideias, dos mais variados cantos da sua mente, brotam instantaneamente conforme você vai escrevendo e dando forma àquilo que você está criando. Isso, às vezes, é assustador! Nessa hora, você trava mesmo, não tem jeito. Entretanto, se você tem foco, um mínimo e embaçado que seja, ele será o farol que te salvará do brainstorm individual. Se isso não der certo, então sugiro que você pare tudo o que você está fazendo e vá espairecer as ideias bem longe do texto. Tem vezes que o texto tem que ficar de molho por um tempo mesmo.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

SEM BOIADA

Meu mundo caiu.
Perdi tudo.
Puta-que-pariu!
Foi-se de todo.

Usava-o bem
Na maior folga.
Outros também.
Mais que droga!

Foi embora
E não volta.
Fui idiota.

Eu, agora,
Não uso mais,
Wi-fi demais.

sábado, 15 de agosto de 2015

Verdades Diretas (canção)

Digo “eu te amo” e não é da boca pra fora.
Digo “eu te amo” não só pra você não ir embora.
Digo porque sinto,
Sinto sim isso que digo
E, se pra você, isso não faz o menor sentido,
Modifico:

Eu amo você, meu amor!
Eu amo você, meu amor!
Eu amo você, meu amor!

Ti procurei há tanto tempo
Só pra te fazer feliz.
Eu que sempre quis
Alguém como você, que me diz:

Eu amo você, meu amor!
Eu amo você, meu amor!
Eu amo você, meu amor!

Por isso, deixa disso
Não fique assim não de alarido.
Ninguém aqui tem
Nada haver com isso.
A gente, a toda hora,
Pode se dizer,
Nada mais importa agora,
A não ser:

Eu amo você, meu amor!
Eu amo você, meu amor!
Eu amo você, meu amor!

Meu amor, eu amo você!!

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Uma pequena janela do futuro

Imagine comigo um mundo desolado, em ruínas; um mundo pobre, desgastado; uma Terra pós-apocalíptica com as pessoas sobreviventes vivendo que nem mendigos, sem recursos, sem nada ou com muito pouco para se manterem. Imagine uma Cracolândia. Pronto. Você tem a cena na sua cabeça; você já tem o cenário. Agora tire, das mãos dos viciados, as drogas que eles devem estar usando, tire deles os pós, as pedras, os cachimbos e os cigarros. Perfeito... Muito bem! Agora ponha em suas mãos, na de cada um, um smartphone. Pronto. Agora você tem a perfeita visão do futuro. Daqui uns anos, ou, daqui a muito pouco tempo, nosso mundo será assim: um bando de pés-rapados aos trapos com a porra do celular nas mãos andando que nem zumbi. Imaginou a cena? Um baita filme de terror, não é? Então veja, se quiser, o meu outro texto: ZUMBI SMARTPHONE. Lá, um alienígena solitário encara essas aberrações deste nosso mundo pós-moderno. Espero que se divirta! :)

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

A GAROTA DE ROSA-BOQUETE

Foto: Bruno Oliveira


O mundo anda complicado; vivemos em tempos de crise; até o tempo, dizem, não é mais o mesmo, ele corre ligeiro, cada vez mais e mais rapidamente, difícil é acompanhá-lo, contudo, isso tudo é só impressão, não é a verdadeira informação; a verdade é: as coisas, neste mundo, estão mais sutis e, ao mesmo tempo, mais escancaradas.

Explico: hoje em dia, vemos tudo de tudo e nada de nada, ou, se preferir, vemos tudo de nada e nada de tudo, ou seja, vemos o que gostaríamos de ver, vemos o que temos que ver e não vemos nenhum e nem outro. Complicado de entender? Pois bem, pegue esta garota como exemplo. Você a vê? Claro que não! Deixe-me descrevê-la para você: ela é bonita. Imagine uma garota bonita. Cada um aí pode imaginá-la de um jeito. Ela pode ser loira ou morena, alta ou baixinha, magra ou gordinha, não importa! Só imagine uma garota linda. Pronto? OK. Você a vê linda na sua mente, mas não a conhece verdadeiramente e nem sabe nada dela. Talvez você consiga intuir algo dependendo dos acessórios que você coloca nela. Os tipos de cor, de corte de cabelo, de roupa, sapato, perfume e jóias dizem muito sobre a personalidade de uma mulher. Entretanto, ultimamente, é na maquiagem que você decifra sua alma. Você sabe, a maquiagem é coisa antiga; é coisa originária de civilizações passadas que a utilizavam não só como algo estético, mas também como algo para fins bélicos. Pintava-se a corpo para ir à guerra, e não só para dizer ao adversário que aquele indivíduo lá invocado era de uma tribo rival, como também para amedrontá-lo. Pesquise por aí e saberá mais. Meu intuito aqui é só o de instigação.

Agora, volte a pensar na garota bonita. Vista-a conforme o seu gosto. Porém, faça-me um pequeno favor, passe nela um batom cor de rosa. Mas não qualquer batom cor de rosa! Tem que passar nela o rosa-boquete. Não sabe qual é? Vide a imagem acima. Esse é o rosa-boquete. Provavelmente, esse tom de rosa, tem outro nome, um nome oficial e mais fresquinho, mas o popular é esse mesmo, rosa-boquete. E esse tom de rosa diz muito sobre essa mulher que o usa, independentemente de como ela está vestida, calçada ou perfumada. Geralmente são as tímidas que o passa. Porém, elas não são tão tímidas assim. Esse batom rosa sutil é pra velar a sua natureza de safada. Quem o passa é uma boqueteira de plantão. Desculpe-me desde já pela expressão. Essas adoram chupar uma rola logo pela manhã. Essas curtem a coisa bem dura e pulsante na boca quentinha. Essas sugam a porra toda e não desperdiçam nenhuma gotinha. A garota de rosa-boquete na boca ama uma surra de pica no rosto e na língua. Não, eu não estou sendo machista! Entenda: elas adoram se engasgar com e pra caralho. É verdade. É fato. Batom é arma de sedução. Então, a garota de rosa-boquete está exibindo sua melhor munição, além, é claro, de suas reais intenções... É como eu disse antes, tá tudo aí à vista, ou não, basta ver e experimentar pra saber, ou não. A verdade é sutil e tá bem na sua cara. Se você não sabia, agora sabe. Passe a informação adiante. E me desculpe se ofendi alguém aí. Meu intuito aqui, também, é te fazer refletir. A garota de rosa-boquete não é filme, é ficção. Mas, agora, que eu te dei a dica, você nunca mais verá esse batom da mesma forma, não é mesmo?

Enfim, é como dizem por aí: ninguém diz não quando nos oferecem um cafezinho, um copo d’água ou uma chupeta. É ou não é verdade?? ;)

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

WATCH BOSS

Meu chefe não tem mais o que fazer,
Fica de olhos fixos no monitor,
Vigiando os empregados feito apicultor,
Esperando um fuzuê pra ver quem ele vai foder.

Tal atitude é de doer,
Melhor seria ele não ficar de moer
E sim se concentrar no motor.
Empresa alguma progride com rancor.

Meu chefe até que é legal,
Pena que desconfie assim;
Vai se dar muito mal.

Em tempos de crise,
Mais valia seguir o sim
Do que ficar nessa cretinice.

sábado, 8 de agosto de 2015

Sapo quebra-quebranto sacrificado gera escudo contra mau-olhado

Foto: "Não sou comestível", de Mark Bridger, Grosby Group


Sapo pego pra tirar mau-olhado.
Infelizmente, coitado, eu o mato.
O sacrifício é necessário,
Ando necessitado...

Tem unzinhos aí que tão me rogando
Umas coisas aí pra lá deste mundo.
Eu não me chamo Raimundo, mas aceito
Isso não! E encaro o adversário!

Dou meus pulos e revido.
Careço de físico, porém, de sobrenatural
Tenho a rodo e faço igual!

Deixo não quebranto algum vir em mim.
Fecho todo o meu corpo sim!
Sapo sacrificado me protege de bom grado.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Brisa Tour

Nesta vida
de vai e vem
o dia
sem vintém
é
nada mais
nada menos
do que
mais um dia
nesta vida.

Amanhã é outro dia.
Por isso, ficamos à deriva
neste mais um dia
desta vida...

terça-feira, 4 de agosto de 2015

A fúria do trabalhador honesto

Sai de mim chefe chato!
Não to querendo papo.
Cê só enche o meu saco!
Vá procurá uma latrina.

Vá ver se eu tô na esquina!
Você só me dá asco.
Vem me tirá e levará sopapo.
Sai do meu pé, seu carrapato!

Eu sim que trabaio direitinho.
Não fico aí não de beicinho
Ou fazendo corpo-mole o dia inteiro.

Eu trabaio direito, sou não um embusteiro.
Sou homem sério, trabaio pra caralho!
Vem não você me dizê o contrário.