sábado, 8 de agosto de 2015

Sapo quebra-quebranto sacrificado gera escudo contra mau-olhado

Foto: "Não sou comestível", de Mark Bridger, Grosby Group


Sapo pego pra tirar mau-olhado.
Infelizmente, coitado, eu o mato.
O sacrifício é necessário,
Ando necessitado...

Tem unzinhos aí que tão me rogando
Umas coisas aí pra lá deste mundo.
Eu não me chamo Raimundo, mas aceito
Isso não! E encaro o adversário!

Dou meus pulos e revido.
Careço de físico, porém, de sobrenatural
Tenho a rodo e faço igual!

Deixo não quebranto algum vir em mim.
Fecho todo o meu corpo sim!
Sapo sacrificado me protege de bom grado.