quarta-feira, 1 de junho de 2016

DA FÉ AO NIILISMO (SONETO APARENTE DA SOFIA ADOLESCENTE)

Quem és tu que vem assim
De repente e envolve a gente
Crente que um dia há
De acontecer coisa melhor?

Que é isso contigo?
Será bendito ou maligno
Isso que tu tens aí
No bolso? Será gostoso?

O que é afinal?
Pau? Pimenta? Sal?
Ora essa! Não me tente.

Desgraçado! Só me vez
De boba. Eu achando coisa
E você aí me fazendo de trouxa.