quarta-feira, 29 de junho de 2016

UMA NÃO-VERDADE RETIRANTE

Caminhava a passos lentos
Dádiva da perdição;
Estar sozinha era opção,
Pois não era a preterida dos rebentos.

Caminhava cheia de lamentos
Criatura feia sem coração.
A cada passo dado, conspiração —
Pegadas-pistas dos aguentos...

De longe se via
Seu rastro de enguia
Pelo Vale da Morte.

Se estivesse com sorte,
Talvez o superasse,
Mas a mentira caminha dando coice.