sábado, 17 de setembro de 2016

DÉJÀ VU À LA MONTAIGNE

Engraçado... Após ler tantas notícias dos mais variados assuntos em mais variados veículos mediáticos, percebo que algo ali não me é estranho e tampouco assim dito novo. Sinto que ao ler tantas coisas aí impudicamente publicadas algo se repete e não se disfarça. Sinto um recorrente déjà vu eclodindo a cada página e a cada tela visualizada. É como se o futuro repetisse o passado; é como ver um museu de grandes novidades, entende? Parafraseio a música do Cazuza aqui e isso não é gratuito. Talvez confuso a princípio, mas, certamente, preocupante. Explico: vendo e lendo tanta coisa por aí posta, sinto que estou de volta ao começo deste blog; sinto que estou de volta a 2009! Naquele ano, eu estava desempregado procurando emprego, cursando a pós e nada mais. Era meados da Segunda Era Lula e a Crise atingia o país em forma de marolinha. Mesmo assim, foi um ano difícil, havia muito atrito entre os pares e a incerteza pairava sobre as nossas cabeças — da minha principalmente! Este blog nasceu justamente nessa época. Eu estava à toa com desejo de produzir, de me sentir útil e assim vivo. Comecei timidamente a escrever aqui. Postei pouca coisa naquele ano. Contudo, ao perceber este nosso estado caótico atual, digamos assim, um texto antigo meu veio a mim de forma natural. Ele é de 2009 e, ao me lembrar dele e relê-lo, confirmei que aquilo que eu estava percebendo hoje, eu já havia percebido ontem. A Era do Caos está de volta! Ou vai ver ela só deu mais uma volta, uma maior. As coisas, hoje em dia, estão mais extremadas, bipartidas, polarizadas. Noto e anoto aqui a falta de Ordem e Progresso que uns aí dizem querer cumprir. Só ando vendo o Caos pra tudo que é lado! Da esquerda à direita, todos centrifugados. Parece que as pessoas estão mais irritadiças, mais intolerantes e cheias de gracinha. Tá difícil de conviver com essa gente xiita! Parece até que estão sendo controlados, de remoto e de cordinha. Teimo em não acreditar que as pessoas são assim de verdade verdadeira, de mente e coração. Espero realmente que tudo isso seja só verdade inventada pra sobreviver nesses tempos cáusticos de fachada. As pessoas são mais parecidas do que pensam pensar. É o que eu acho. Em todo caso, deixo aqui o link do texto meu que comentei antes. Ao lê-lo, você verá que ele mais se parece deste nosso tempo presente tratar — assustador.