sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

EMENDAS DA MEIA-NOITE

Do calvário alegam vir
Pra por em ordem um país,
Mas, o que se vê, faz rir
Pra não chorar chafariz.

Tudo parece por um triz;
Todos eles temem cair.
Afinal, tem gente aí que se faz juiz.
Porém, desencanto morno, vão ruir...

Na calada da noite fazem acordos,
Delações premiadas ganham fórum;
Tudo é encenado em grandes auditoriums!

O que se vê só se vê cacos, quebrados.
O verdadeiro espetáculo não é arbitrário!
Lá, o jogo é jogado sem estagiário.