segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

GORDO, VELHO E BROCHA

O pau já não vê mais,
A barriga bloqueia a visão.
Se duro fica,
Já nem mais sente,
Ereção é coisa ausente.
Prazer sente mesmo é quando come.
Seja um petisco, um crustáceo vivo
Ou uma bandeja cheia de salgadinhos!
Por passar de certa idade,
Nem mais se importa com isso ou aquilo outro,
Quer mais é beber, se empanturrar
Até o cinto da calça estourar!
Ser gordo não é problema,
Problema é querer ficar magro.
Porém, disso, não sofre, é enfado.
Agora, do pau não levantar...
No início, sofreu,
Mas, se viu sozinho,
Então, se esqueceu.
Ser homem, hoje em dia, não é mais isso.
Ser homem, atualmente, é ter muito di$$o, muito daquilo...
E de tudo ele tem.
“Não preciso de ninguém!”, ele diz.
Ele é desses que você vê na rua.
Você o vê e o vê feliz,
Mas quem em sã é assim sendo
Gordo, velho e brocha?