quarta-feira, 28 de junho de 2017

PEROBA NA CARA, TOBA LARGA

Não se sabe ao certo
No que vai dar
Esse alvoroço todo
No Supremo
Se ele sai
Se ele fica
A coisa tá feia
Até pra Maisa!
O melhor é sair
Se ficar, pior fica
Tem gente que quer que fique
Pra tal “estabilidade” manter
Mais isso aí é besteira
O vampirão não larga a mamadeira!
Se o país fosse sério,
O povo já teria botado ele pra fora
Feito morcego cego levando vassouradas
Aqui tudo é piada
Até esse governo de fachada
Somos governados por ladrões,
Estupradores e “gente de bem”
Que nos fode perobamente.

terça-feira, 27 de junho de 2017

MÁXIMAS DE SUICIDAS FRACASSADOS

Pule da ponte
E ganhe um hematoma


Nunca, jamais
Corte os próprios pulsos
Se você é e tem pet diabético


Se jogar nos trilhos
Pra pegar o celular
É mais comum do que se imagina


Andar de bike
Em SP
É pedir pra morrer
Ou pra ser roubado


Dar um tiro
Na cabeça
Só dá certo
Quando a arma
Tem o número de série riscado —
Arma legal não atira


Arma branca
Lado negro
Cabeça de pudim


Se queres morrer
Na praia
Que seja depois do feriado


Andar a pé
À noite
Não é perigoso,
Perigoso é dormir
Na rua
À noite


Se queres morrer logo,
De imediato,
Basta ligar a TV
Em um dia de domingo


Cicuta vencida
Só dá dor de barriga


Quem se mata
No horário de pico
Só atrasa a vida dos outros


Toda vida importa,
Até alguém
Com dinheiro
Aparecer e embargá-la

segunda-feira, 26 de junho de 2017

PARADA NACIONAL DOS IDIOTAS

Passa ligeiro pela avenida
Gente afoita quase sem vida
Querendo um pedaço de encanto,
Pois já não aguentam mais tanto pranto.

Correm feitos bestas
Com olhos arregalados de jumenta
Quando pare bezerro morto —
Natimorto dos zoio torto.

Escrituras de auto-ajuda
Não satisfazem mais essa gente,
Pois as mentes desligaram

Para conectarem elas em algo
Que mais tortura que ajuda.
E assim os burros seguem...

quinta-feira, 22 de junho de 2017

MÁXIMAS DE BANHEIRO PÚBLICO (DE REPÚBLICA)

Nunca se sabe ao certo
quem é confiável,
mas estável,
se encontrar,
pode confiar!


TODO MUNDO MENTE
NÃO PRECISA SER VIDENTE
PARA VER
BASTA VIVER


A estabilidade é um estado de meditação.
Quem a domina é moderado, equilibrado
ou um baita de um safado!


Quem chupa rola torta
sofre de osmose passiva.


BANHO TCHECO NÃO SALVA CASAMENTO


Tietagem é a pior coisa deste mundo,
pois, quem a recebe, geralmente não a merece e,
quem a pratica, não tem amor a própria vida.


PUTO É O CARA DITO BONITO,
POIS ELE ENTENDE DE CREMES,
MAS NÃO DE GERMES.


AQUI SE FAZ MERDA SEM TESTEMUNHAS


ATENÇÃO ÀS CORES:
MIJO TRANSPARENTE = OK
MIJO AMARELADO = + OU - OK
MIJO VERMELHO = NO OK (VC SE FUDEU)


LIMPE A BUNDA E GANHE UM BEIJO


MACHISTA É AQUELE BOFE BROCHA
QUE SENTE NOJINHO DE BUCETA

segunda-feira, 12 de junho de 2017

JUSTIÇA-POLÍTICA BRASILEIRA

neste país de cretinos,
em que vivemos,
a justiça é mista
e dá vexame
diante dos cidadãos
de baixa escolaridade política

cada Poder se move a bel prazer
e manda, a gosto, o povo se foder

em terra de artimanhas econômicas,
quem tem emprego é rei!
e quem não tem?
não importa
a política da ordem
só promove desordem institucional:

é cada um
de olho
no
próprio rabo
que dói.

terça-feira, 6 de junho de 2017

SE NADA DER CERTO

se nada der certo,
faça que nem os reaças do Sul:
menospreze o trabalho digno
da maioria das pessoas comuns

faça isso e ganhe um prêmio:
um jab direto no queixo!

perdedor é aquele que não entende,
e nem quer entender,
que tudo que dá errado
é o caminho certo pra crescer.

sábado, 3 de junho de 2017

MINHA DOUTRINA DE VIDA

viver apenas pelo prazer
é a mais tola fantasia,
pois a vida,
pra ser plena,
tem que ter dissabores
aos bocados.

afinal, quem conquista
o almejado,
valoriza a luta
de cada dia
quando se vê
com o resultado.

toda vida é imperfeita
e é aí que está a
verdadeira beleza.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

QUESTIONANDO A APATIA

o que acontece
com a gente
quando tudo se torna
irrelevante?
quando a vontade
é de nada querer
nem mesmo a rua ver?
por que isolados nos tornamos
quando apenas de prantos
nos envolvemos?
proteger o quê afinal queremos?
preservar a si não é isso,
isso é o fim do caminho.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

PAZ: CIÊNCIA DO PENSAR

Paciência é fruto da decência
Em se querer ficar numa boa
Sem invocar com coisa tola;
É saber querer a prudência

Em vez da inevitável ausência.
Quem assim age,
Nunca faz alarde.
Se estorva, faz a leniência

E assim minimiza os danos
Na cabeça cheia de planos.
Desta vida, tudo se salva,

Até obrigado de gente ingrata.
É tudo uma questão de calma,
Pois serena é a nossa alma.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Em meio aos escombros de um impeachment duvidoso, ergueu-se um presidente cheio de reformas. Ao poucos, ele foi quebrando tudo o que era assegurado pelas discussões e debates do passado — seu intuito era criar um novo mercado. Agora, após o furo do globo prateado, suas reais intenções e sua moral, enfim foram reveladas. Ele, nesse instante, foi rifado tão rápido, que até o cretino do seu lado, ficou deveras espantado. Renunciar, ele não renuncia, mas o que foi descoberto não é conto da carochinha; é coisa de polícia. O que esperar de alguém tão impopular, hein?

O RATO SOBRE A MONTANHA

Tua índole não me engana,
Sei bem quem tu és.
Se faz de santo pros fiéis,
Mas, pelas costas, pega a grana.

Seu conluio, hoje, a podridão emana
Todos veem, agora, o chorume em seus pés.
Não adianta mais negar o que há nos papéis.
Tua pessoa é, desde já, insana.

Seus rivais, seus inimigos,
Exigem um constitucional castigo,
Mesmo sabendo que isso seja difícil...

Quanto a seus amigos, esses fantoches,
Espalham, desde cedo, o deboche.
Afinal, negar a si mesmo é bem mais fácil.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

SUOR, SANGUE E LÁGRIMAS

Nada há fazer
Em pleno alvorecer.
Tudo já foi feito,
O que resta é lamento.

Lamúrias ao vento,
Pois não há mais julgamento.
Todos choram ao entardecer,
Pois não há o que comer.

Barriga inchada de verme,
Vazia de comida;
A noite é sem alegria.

Madrugada fria,
Vida sem saída,
Suor, sangue e lágrimas sobre e epiderme.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

EMPREITEIRA MAMADEIRA

Mamam com gosto
Nas tetas plásticas da empresa,
Gente vil, de baixa natureza;
Enchem mais o bucho inchado
De leite quente adulterado,
Lambendo os beiços
Feito porra de puto bem dotado.
Se isso, desde já, já
Não lhes causa asco,
Imagine o que eles fazem
Quando estão fora do trabalho!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

MANIQUEÍSMO LAMBE-LAMBE

NESTA LUTA DE CLASSES,
A LUTA É ARMADA
PRA TRITURAR O ADVERSÁRIO
POR TODOS OS LADOS DEMOCRÁTICOS.
SEJA EM FRENTE ÀS CÂMERAS
OU DEBAIXO DO PANO,
O OBJETIVO É O MESMO:
OBLITERAR A CARREIRA DOS SUSPEITOS.
PARA ASSIM, SE OS MESMOS QUISEREM
SE CANDIDATAR A ALGO NO FUTURO,
SEREM IMPEDIDOS CONFORME A LEI DOS AJUIZADOS.
PARECE COISA DE ALOPRADOS,
SÓ QUE NÃO!
NA GUERRA PELO PODER,
TODOS OS ATORES TÊM PAPEL PRINCIPAL
NO CENÁRIO MONTADO (E PAGO)
POR ALGUMA ESTATAL.
O BEM E O MAL
NÃO SE MOSTRAM COM CLAREZA
QUANDO O INTUITO É
APENAS DESCONSTRUIR A IMAGEM PERFEITA.
REFLETIR, HOJE EM DIA,
VIROU ATIVIDADE FÍSICA:
UNS A PRATICAM COM REGULARIDADE,
OUTROS, PORÉM, SÓ DE VEZ EM QUANDO.
A POLARIDADE É O SEDENTARISMO
DESTA NOSSA SOCIEDADE.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

PONTOS DE TENSÃO EM MERCÚRIO AZUL

No mapa astral do tempo,
Vemos quem não joga limpo
E, se preciso, damos um corretivo
Ou, simplesmente, dosamos um paliativo.

Afinal, no nosso quintal, o primitivo
Não tem vez, nem quando ativo!
Remissivo se torna em baixo campo,
Retornando eras até Aleppo.

Embusteiro! Berrarão os incrédulos
Que veneram outros ídolos.
Sacripanta! Gritarão os ditos clérigos

Que só rezam pra não serem pegos.
Vagabundo! Vociferarão os de temperança,
Pois nem eles veem mais como a uma criança.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

BLACK MIRROR

Olhava fixamente para si,
Criatura digna de apelo.
Na tela do pequeno aparelho,
Seu reflexo era um devaneio,
Seu rosto disforme não lhe agradava —
Defeitos demais numa só cara.
Foi aí, então, que teve uma ideia:
Desconfigurar o próprio rosto.
Não deu outra,
O pequeno aparelho deu pau.
Impossível, até pra tecnologia,
Consertar aquilo que não precisa ser consertado.
Todo ego acaba quebrado.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

GREVE GERAL

Estamos em greve,
Diz o cartaz.
E isso é grave,
Pensa o capataz.

Na casa grande, um entrave.
Entrementes, um dia sem paz.
Na senzala, dia de neve.
Estridentes, a força, presente se faz.

Não haverá tortura,
Nunca mais!
Haverá compostura,

Sempre mais.
É um dia de luta
Para nós, os filhos da puta!

quinta-feira, 27 de abril de 2017

IGNORÂNCIA

vejo-a crescer
e se desenvolver
nas línguas pequenas
de grandes hienas
vejo-a se adaptar
pra cada platéia em particular
pois o intuito é desde já causar
a ruína moral de cada lar
hoje, todos têm opinião
porém, poucos ouvem com atenção
ofender virou rotina
até criança vejo por aí sendo cretina
pavio curto todo mundo agora têm
conversar de boa não há ninguém
este mundo tá confuso
difícil de entender até o obtuso
neste país de gente esperta
vagabundo é o poeta

quarta-feira, 26 de abril de 2017

PERÍODO CRETÁCEO NA POLÍTICA POLITÉCNICA

Não se entende nada
De política partidária.
É tanto papo de fachada
Que faz da gente, otária.

Política não é piada!
É coisa séria, não pária;
É meio social de vida;
Não é esquema de olaria.

E, nesse não entender,
Ficamos à mercê
Desses tais “apolíticos”,

Que, na real, são os mesmos paleolíticos,
Querendo se promover
Em meio ao fuzuê.

terça-feira, 18 de abril de 2017

INTOLERÂNCIA

Intolerância nós vemos
Naquilo que fazemos,
Mas tentamos disfarçar
Pra não nos caçar.

Porém, se vemos em outrem,
Julgamos e condenamos sem
A menor cerimônia
Ou, na cara, vergonha.

Por que assim agimos,
Neste século de achismos?
Por que tanto ódio,

Nesta sociedade de pódio?
Porque perdemos o respeito
Quando a tela tomou o cara a cara.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

A DELAÇÃO DO FIM DO MUNDO

“Agora vai!”, dizem
Contudo, não é pra tanto
Nesta terra de ninguém,
Os “eleitos”, mesmo suspeitos,
São mantidos em banho-maria
Com o intuito vil
De assegurar a ganância parlamentar
Esperança é para os fracos
Os fortes quebram tudo
Pois nada querem que sobre
Dessa vergonha nacional disforme
Delator é herói
Mesmo sendo cu de bode no calote
Só mesmo os muitos inocentes
Vêem refrigério no meio desse inferno
A coisa tá mais que preta
Aqui, no fim do mundo,
O fim dos tempos
Já foi anunciado
Desde quando àquele portuga
Gritou em alto e bom fado
“Terra à vista!”
De lá pra cá
Só deu merda

sexta-feira, 7 de abril de 2017

PLANETA NOVE

Além de Netuno há
Massa sólida a girar
Num desvario de pirar
Até quem diz que já sabia.

Plutão, se achou, acabou de errar.
Quem o matou se farta na via
Escalafobética da academia,
Querendo pôr e tirar

Astros que já estavam lá
Anos-luz desse inventário,
Que ajuda, mas também complica

A dura pesquisa científica.
Astronomia não é astrologia, otário!
Aqui, deuses fenecem feito vela.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

CIDADE CINZA

Prometida uma cidade linda,
Deram-nos uma cinza.
Perguntamos: onde há lindeza nisso?
Kassab já fez isso e se deu mal,
Agora vem um Doria e passa cal.
Cadê o Kobra, osgemeos e o Chivitz?
Cobriram a todos bem no nosso nariz!
E ainda se diz trabalhador, bom gestor...
TRAIDOR!
Somente os tolos caem nessa de prefeito-gari.
O gari de verdade faz mais por mim
Do que “ele” pensa fazer.
O gari de verdade mostra a minha beleza,
Não a maquila assim cinzenta.
Sou São Paulo 2017
E não Orwell 1984.
Sou de todos,
Não sou do seu bando.
Sou MMDC 1932.

sexta-feira, 31 de março de 2017

O CARRASCO DOS POBRES

Dos confins do jaburu,
Ele veio feito peru:
Todo-todo abarroado
Do alvorada fez pado.

Lá, ficou despreocupado,
Pois suas intenções eram do agrado
Da maioria lá de urutu —
Hematófagos de tribufu.

Do poleiro paraneico,
Empossou embusteiros
Para altas cúpulas taciturnas.

Quanto ao povo, fez pouco,
Migalhas jogou em aterros;
Decepando mãos calejadas em urnas.

quinta-feira, 30 de março de 2017

RICARDO ESTÁ MORTO

Atordoado pelo orgulho ferido, ele tira a própria roupa e se joga nu pela janela. Do outro lado, ela o vê e se excita ao vê-lo tirar a roupa. Enquanto cai, ele chora, de raiva ou de medo não se sabe. Ela vê o suicida e não acredita no que vê, chocada fica. Espatifado no chão, ensanguentado, ele suspira seu último suspiro, sozinho. Ela olha o corpo morto e não diz nada até seu marido surgir e lhe perguntar o motivo de se entreter tanto na janela. Ela enfim lhe diz: “Ricardo está morto”.

segunda-feira, 27 de março de 2017

RIDICULUS

Tem mais de trinta
E pira no som da sua banda favorita;
Faz dancinha e não tem medo
De ser feliz, de se divertir.
Canta, grita e gesticula
Que nem criança no primeiro show ao vivo.
Sorri a toda hora
Diante do que gosta, curte.
É feliz, genuinamente.
Quem não o entende,
Chama-o de
Ridículo.

terça-feira, 21 de março de 2017

NA VEREDA DO FIM DOS TEMPOS, UM CORPO NU JAZ MORTO

Ao contemplar a ruína, ele via, enfim, o fim de tudo. Tudo que já havia existido era consumido pelo Caos. Nada mais existiria a não ser ele próprio e o nada. Somente ele ficaria responsável em criar um tudo novo. Essa simples ideia o agradava, um sorriso de satisfação se rascunhava em seus lábios finos. Porém, tal sorriso se desfez logo quando ele percebeu, enfim, que do nada sairia sendo ele apenas tempo. A Criatividade era necessária, mas ela estava estatelada e morta pelo chão, fora assassinada pelo Tempo que nunca tivera um coração.

sexta-feira, 17 de março de 2017

O MIMIMI É O ARMAGEDDON

Ao que tudo indica,
Este mundo acabará
E mais cedo será
Se os cabeça de titica

Continuarem fazendo birra
Sobre tudo quanto é fofoca.
Hoje, todos agem feito orca
Assassinando, botando pira

Em qualquer um aí que duvida
Do que é divulgado, quadro a quadro,
Nos principais jornais mediáticos.

Hoje, é tudo na porrada!
Todos têm teto de vidro,
Mas da tolerância não juntam os cacos.

segunda-feira, 13 de março de 2017

"O MUNDO INTEIRO É A MINHA CASA"

Pegue leve no que diz,
Pois a certeza não é absoluta.
Ainda mais nesses tempos
De “achismos”, sem profunda idade.

Se o mundo anda complicado,
És tu que estás quebrado.
Então, monte a si mesmo
E esqueça os outros vespeiros.

Este mundo está intolerante —
Tem gente que implica até com turbante!
Nesse caso, tente entender esse lado
(E tente mostrar o seu a esse).

Mostre que vocês não são assim tão diferentes!
A igualdade não está na raça,
Está naquilo que você chama de casa.

quinta-feira, 9 de março de 2017

PRESIDENTES, VICES & OUTRAS DROGAS

Faça chuva
Ou
Faça sol
O
Temer é
Ainda
Um
Paga-pau



Volta Dilma
Volta
Volta querida
Já não sei, não...



Ciro tenta se promover;
Alckmin se dobra pro Doria;
Aécio ainda mete o nariz no magnésio
E a Marina segue a dieta da Bela Gil...
Mas cadê o Lula??
Tá em casa assistindo Narcos.

quarta-feira, 8 de março de 2017

BOLA DE NEVE

Do alto da montanha
Ela vem
Rolando a toda
Para baixo
Numa velocidade de impacto!
Derrubando tudo à sua frente
Pedra, planta e pelicano!
Quê?!
...
Sexta-feira santa
Vira
De cinzas
Quando o ódio
Vira
Doutrina.

terça-feira, 7 de março de 2017

DESTITUINDO O CIDADÃO DO JOGO POLÍTICO LIBERAL

Instituição não mais existe
Neste país de gente cretina
Que se mexe só pra ladainha
E parada fica quando triste.

Emotiva demais essa gente
Que é enganada de bainha
Pois, ela própria, se genuína,
Saberia bem a arma que vai à frente:

O povo é a arma!
É ele quem luta,
Dá e tira o próprio sangue.

O coldre é só um acessório, coisa erma,
Que não deveria estar em cena; é coisa diminuta.
Só a faca salva no meio do mangue.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O PRIMEIRO ESCRIBA

Sem saber o que fazer, ele escreve. Escreve palavras numa folha de papel em branco na tentativa ilusória de que a atividade ortográfica lhe fará preencher melhor o tempo que não passa. Assim ele vai até alta madrugada. E só consegue escrever uma palavra: sozinho.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

frustração consciente, ou deu merda, e daí?

Pego uma folha em branco na esperança de escrever algo bom. Porém, no meu dilúvio interior, só sai coisa ruim. Mesmo assim, persisto no erro consciente, consciente da merda que vai dar. Ao término da contenda, avalio o resultado e, após uma pausa reflexiva, que dura poucos segundos, vocifero: que merda! A coisa toda já era prevista. Então por que insistir nisso? Ora, veja bem, da merda que fazemos, ora ou outra, sairá coisa boa. Só tentar encarar isso numa boa.