quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

TODA FAMÍLIA É UM ALGORITMO QUE NÃO FECHA

Não se sabe ao certo
Quando há de acabar
A vida serena de um lar.
Até lá, se faz sensato

Tentar manter a decência
Entre todos e a prudência
De conviver sem alarmante.
Ninguém precisa ficar preocupante,

Pois se até ali viveram bem,
Então, mais um pouquinho também.
Aí, quando tudo e todos explodirem,

Os estilhaços não doerão tanto,
Tampouco tanta gente ficará de pranto.
Ora ou outra famílias se partem.