quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

JUVENTUDE ANCORADA

Neste país em que me vejo,
Vejo gente ganhando dinheiro
De uma forma digna de puteiro:
Sem vergonha até no varejo.

Vejo também gente decente,
Que se diz crente,
Levando vantagem em tudo
Na maior cara-de-pau do mundo!

E eu, no meio disso, o que faço?
Faço nada, ora bolas!
País de bosta!

É o que sempre digo,
Sentado em frente à tela,
Comendo pizza e vendo novela.