quinta-feira, 25 de maio de 2017

PAZ: CIÊNCIA DO PENSAR

Paciência é fruto da decência
Em se querer ficar numa boa
Sem invocar com coisa tola;
É saber querer a prudência

Em vez da inevitável ausência.
Quem assim age,
Nunca faz alarde.
Se estorva, faz a leniência

E assim minimiza os danos
Na cabeça cheia de planos.
Desta vida, tudo se salva,

Até obrigado de gente ingrata.
É tudo uma questão de calma,
Pois serena é a nossa alma.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Em meio aos escombros de um impeachment duvidoso, ergueu-se um presidente cheio de reformas. Ao poucos, ele foi quebrando tudo o que era assegurado pelas discussões e debates do passado — seu intuito era criar um novo mercado. Agora, após o furo do globo prateado, suas reais intenções e sua moral, enfim foram reveladas. Ele, nesse instante, foi rifado tão rápido, que até o cretino do seu lado, ficou deveras espantado. Renunciar, ele não renuncia, mas o que foi descoberto não é conto da carochinha; é coisa de polícia. O que esperar de alguém tão impopular, hein?

O RATO SOBRE A MONTANHA

Tua índole não me engana,
Sei bem quem tu és.
Se faz de santo pros fiéis,
Mas, pelas costas, pega a grana.

Seu conluio, hoje, a podridão emana
Todos veem, agora, o chorume em seus pés.
Não adianta mais negar o que há nos papéis.
Tua pessoa é, desde já, insana.

Seus rivais, seus inimigos,
Exigem um constitucional castigo,
Mesmo sabendo que isso seja difícil...

Quanto a seus amigos, esses fantoches,
Espalham, desde cedo, o deboche.
Afinal, negar a si mesmo é bem mais fácil.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

SUOR, SANGUE E LÁGRIMAS

Nada há fazer
Em pleno alvorecer.
Tudo já foi feito,
O que resta é lamento.

Lamúrias ao vento,
Pois não há mais julgamento.
Todos choram ao entardecer,
Pois não há o que comer.

Barriga inchada de verme,
Vazia de comida;
A noite é sem alegria.

Madrugada fria,
Vida sem saída,
Suor, sangue e lágrimas sobre e epiderme.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

EMPREITEIRA MAMADEIRA

Mamam com gosto
Nas tetas plásticas da empresa,
Gente vil, de baixa natureza;
Enchem mais o bucho inchado
De leite quente adulterado,
Lambendo os beiços
Feito porra de puto bem dotado.
Se isso, desde já, já
Não lhes causa asco,
Imagine o que eles fazem
Quando estão fora do trabalho!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

MANIQUEÍSMO LAMBE-LAMBE

NESTA LUTA DE CLASSES,
A LUTA É ARMADA
PRA TRITURAR O ADVERSÁRIO
POR TODOS OS LADOS DEMOCRÁTICOS.
SEJA EM FRENTE ÀS CÂMERAS
OU DEBAIXO DO PANO,
O OBJETIVO É O MESMO:
OBLITERAR A CARREIRA DOS SUSPEITOS.
PARA ASSIM, SE OS MESMOS QUISEREM
SE CANDIDATAR A ALGO NO FUTURO,
SEREM IMPEDIDOS CONFORME A LEI DOS AJUIZADOS.
PARECE COISA DE ALOPRADOS,
SÓ QUE NÃO!
NA GUERRA PELO PODER,
TODOS OS ATORES TÊM PAPEL PRINCIPAL
NO CENÁRIO MONTADO (E PAGO)
POR ALGUMA ESTATAL.
O BEM E O MAL
NÃO SE MOSTRAM COM CLAREZA
QUANDO O INTUITO É
APENAS DESCONSTRUIR A IMAGEM PERFEITA.
REFLETIR, HOJE EM DIA,
VIROU ATIVIDADE FÍSICA:
UNS A PRATICAM COM REGULARIDADE,
OUTROS, PORÉM, SÓ DE VEZ EM QUANDO.
A POLARIDADE É O SEDENTARISMO
DESTA NOSSA SOCIEDADE.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

PONTOS DE TENSÃO EM MERCÚRIO AZUL

No mapa astral do tempo,
Vemos quem não joga limpo
E, se preciso, damos um corretivo
Ou, simplesmente, dosamos um paliativo.

Afinal, no nosso quintal, o primitivo
Não tem vez, nem quando ativo!
Remissivo se torna em baixo campo,
Retornando eras até Aleppo.

Embusteiro! Berrarão os incrédulos
Que veneram outros ídolos.
Sacripanta! Gritarão os ditos clérigos

Que só rezam pra não serem pegos.
Vagabundo! Vociferarão os de temperança,
Pois nem eles veem mais como a uma criança.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

BLACK MIRROR

Olhava fixamente para si,
Criatura digna de apelo.
Na tela do pequeno aparelho,
Seu reflexo era um devaneio,
Seu rosto disforme não lhe agradava —
Defeitos demais numa só cara.
Foi aí, então, que teve uma ideia:
Desconfigurar o próprio rosto.
Não deu outra,
O pequeno aparelho deu pau.
Impossível, até pra tecnologia,
Consertar aquilo que não precisa ser consertado.
Todo ego acaba quebrado.