quinta-feira, 25 de maio de 2017

PAZ: CIÊNCIA DO PENSAR

Paciência é fruto da decência
Em se querer ficar numa boa
Sem invocar com coisa tola;
É saber querer a prudência

Em vez da inevitável ausência.
Quem assim age,
Nunca faz alarde.
Se estorva, faz a leniência

E assim minimiza os danos
Na cabeça cheia de planos.
Desta vida, tudo se salva,

Até obrigado de gente ingrata.
É tudo uma questão de calma,
Pois serena é a nossa alma.