segunda-feira, 26 de junho de 2017

PARADA NACIONAL DOS IDIOTAS

Passa ligeiro pela avenida
Gente afoita quase sem vida
Querendo um pedaço de encanto,
Pois já não aguentam mais tanto pranto.

Correm feitos bestas
Com olhos arregalados de jumenta
Quando pare bezerro morto —
Natimorto dos zoio torto.

Escrituras de auto-ajuda
Não satisfazem mais essa gente,
Pois as mentes desligaram

Para conectarem elas em algo
Que mais tortura que ajuda.
E assim os burros seguem...