quinta-feira, 3 de agosto de 2017

DO FAZER NADA, SAI POÉTICO

quero fazer alguma coisa,
mas eu não consigo,
pois a ideia não está clara
o suficiente
acho até que não tem ideia nenhuma,
apenas uma caneta sobre
uma folha em branco suja

garranchos mal desenhados
no papel lembram
bagunça de bordel

tudo é assim tão caótico
que chega a ser hipnótico

a ideia branda não vem,
mas um poema
mesmo assim
se fez