quinta-feira, 21 de julho de 2011

Caixa de saída (6)

“Desuniverso”

Cara amiga ausente,

Neste grande dia de festa, espero que, ao ler esta cartinha, você esteja bem e uma gracinha.

É o teu aniversário. PARABÉNS!!! É dia vinte de julho e tu fazes vinte e poucos anos. Que maravilha! Que belezura! E ainda é, dizem por aí, o Dia do Amigo. Então, neste caso, PARABÉNS novamente, minha saudosa amiga.

Adoraria ti dar um forte abraço agora, e um beijo casto em cada bochecha rosada, mas, infelizmente, estamos muito distantes um do outro. Eu cá cativo e você aí alternativa. Este nosso relacionamento fraterno e paralelo tem lá suas vantagens e desvantagens, mas, ultimamente, temos mais dessa do que daquela.

Já faz meses que não vislumbro a janela de acesso a seu mundo. Estará fechada? Ou você, minha cara, a fechou na minha cara? Bem, enfim, a minha janela está aberta e sempre estará aberta pra você. Afinal, você sabe bem, aprecio me relacionar com outros mundos, e o teu é tão fascinante, tão ofuscante, purpúreo e macio.

Assim, me despeço aqui de ti. E com estimativa estatística de que esta folha arrancada do meu caderno de vidro chegue inteira em suas lindas e delicadas mãos esverdeadas.

Até breve então e, mais uma vez, aceite aí meus sinceros PARABÉNS!!!

Cordialmente,

BRO


P.S.: somos vizinhos, mas somente tua ausência me visita regularmente. E isso, definitivamente, não é a mesma coisa!