segunda-feira, 2 de julho de 2012

A periguete (primeiro esboço)

Meu amigo,

Mulher, hoje em dia, está difícil de definir.

Ou está fácil demais, dependendo do caso do acaso.

O negócio é: tome muito cuidado com a periguete. Esse novo espécime do gênero feminino se disseminou por aí afora; virou praga, virou vírus viral fora de época. Sentimos o inverno presente, mas esse ser não; calor constante é o que esse ser sente, e isso é sinal evidente de evolução, adaptação. Periguete não pega resfriado ou uma virose qualquer, pega tudo e todos que quiser numa só dose. Periguete não está nem aí pra você ou pra mim. Periguete só pensa em se satisfazer. Parece vampiro no cio ou morto de sede; é desgraça escrachada num corpo quente.

Por isso, muito cuidado, meu amigo, com seus poderes de atração. Aquela borboleta não cheira só flor, não. Periguetes exibem um comportamento e um visual muito diferente do que costumamos ver. Ousadas elas são, umas até nem tem coração, muitas se proliferaram aí na televisão. Na tevê aberta, é claro, porque periguete genuína pode até pegar num cabo, pagar calcinha, mas ficar fechadinhas isso lá não ficam, não. Periguetes não tem medo, não receiam ser criticadas pelo que são, são assumidas sim, principalmente no verão.

E daí que se paramentam com roupas decotadas e coladas ao corpinho delicado? Qué que tem usarem e abusarem de vestidinhos justos e curtos que modelam seus corpos sarados? Sutiã é coisa do passado, meu caro. O que vemos por aí é consequência direta da emancipação feminina. Elas começaram mostrando os seios, agora mostram todo o resto indiscreto.

Periguete é mulher do futuro, que sabe bem o que quer e como conseguir aquilo que deseja. Periguete é mulher de atitude. Mulher que sabe muito bem como usar o poder que tem. Periguete pode ser menina-mulher ou mulher-menina. Estudiosos dizem que o espécime periguete atingi seu auge libidinoso quando está entre os 18 e os 28 anos. Antes disso podem ser precoce. Precocidade altamente perigosa. Depois disso é perigo volátil até a menopausa. Já lhe disse e muitos colegas acadêmicos meus concordam: a periguete é a mulher do futuro. Agora, de futuro eu e alguns aí já não sabemos bem ao certo...

Periguete só conheço na teoria. Minha tese prática está carecendo de dados satisfatórios. Pedi uma amostra grátis no Natal, mas ainda não fui contemplado. Periguete costuma dar cano. E outras coisas também. Periguete é a rainha do desdém.

Desgraçada gostosa é foda, né não, meu amigo?!

Abraço!!

Mr. Boo