quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

ONDE OS FRACOS SE APOIAM

há quem se entregue às ilusões,
por não querer viver a verdade

há quem se engane,
porque é mais fácil

quem assim vive,
não vive,
sobrevive

a vida é difícil;
viver bem leva tempo

pena que tem gente
que prefere a mentira
fazer parte da própria vida

quem assim se resolve,
só se dá mal,
e não tem sorte

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

EFEMÉRIDES (2)

Na necessidade de entreter,
O Homem vende a própria alma.
Tão barata ela é que,
Quem a vê, ouve ou sente
Não acha a menor graça.





O mundo só é complicado
Pra você que tem
Gente do seu lado.

Na solidão,
Não há complicação;
Só um vazio
Que persiste no nada.




A vida é curta,
O fim-de-semana também.




Ódio, hoje, é coisa normal,
Como fumar crack na esquina de casa.




Só quem é rico é feliz,
Pois compra a ilusão que quiser —
Não a cria.





Deus é injusto
Pra você que não é justo
Consigo mesmo
E com outros
Que amam/odeiam você.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

TEMPO RUIM

Embebida em sangue, a criatura enrugada tenta respirar. Debaixo da ponte, a chuva forte não chega, porém inúmeras gotas surgem no concreto cheio de mofo. A mão, fraca, golpeia o pequeno abdômen do recém-nascido, num desejo desesperado de vê-lo vivo. Em vão se torna o ato. Seu filho, seu fruto está morto. O parto não fora natural. Seu sangue abunda suas vestes encardidas e a terra fria donde está. Seu algoz se aproxima. O vulto caminha em sua direção. Mesmo todo encoberto, a chuva forte não esconde a faca na sua mão direita. A vítima grita. Seu último grito não é ouvido por ninguém. O assassino sai debaixo da ponte, caminha lentamente sob a chuva enquanto esconde a faca suja por dentro das calças. Sobre a ponte, turistas emburrados, enfurnados em sedans alugados, lamentam o tempo ruim.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

NO CANTEIRO, A LUA CHEIA MOSTRA O MONSTRO

no alto da grua
se via a sombra:
silhueta estreita duma criatura
contorcia-se toda
em movimentos frenéticos,
como se, nela, algo se desprendesse
de repente
duas grandes asas se mostraram
abertas ficaram
pra ganhar voo
a criatura despencou
alçando aos céus da cidade, logo em seguida
desejando sangue virgem
de menina

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

AJA TENTO, SEJA TEMPO

há quem odeie a chuva
por ela “estragar” o dia

há quem a ame
depois de meses
sem vê-la

há quem odeie o sol
por ele matar
toda uma criação

há quem o ame
após anos na neve

há tantas coisas,
tantos sentimentos
que fica difícil
ver alguém satisfeito

aceite o clima
você não tem poder sobre ele
aproveite-o de outro jeito
faça dele uma compreensão de si mesmo

aja tento,
seja tempo

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

A FELICIDADE EM ESTADO SÓLIDO

O mundo inteiro anseia por felicidade, como se ela fosse algo impossível. Torram a semana inteira no aguardo tão esperado do fim dela; delegam ao famigerado “fim de semana” o supra-sumo da felicidade plena. Bobagem. Para ser realmente feliz, basta entender que esse estado de alegria só é uma coisa meio fixa quando a pessoa está em paz com a própria vida. A felicidade é só uma ideia que perdura quando a mente está madura.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

O RÉVEILLON DE QUEM ENTENDE

ano novo
vida nova

gente certa
outros erros

gente errada
outros acertos

novos tempos
mesmos erros?

na retrospectiva
a perspectiva

sempre há
um algo almejado

quase sempre se faz
mais um desgraçado

a vida é
bem diferente
nos outros dias
do ano

quem não se engana
a vida enfim emana

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

ATÉ AS LENDAS SE APOSENTAM

Reinava há vários anos. O povo estava bem. Ninguém passava fome e as guerras não mais existiam. Seu reino prosperava, era feliz como nunca o fora. Contudo, uma coisa não estava certa. Algo ali não estava direito. A espada que sempre carregou consigo não tinha mais serventia. Guardá-la como tesouro não era opção. Toda espada é feita com um propósito: cortar a carne do inimigo. Sem ele, a espada não faz sentido. Assim, a espada é desembainhada, pela última vez e, seu rei, crava-a na pedra de onde a retirou. Ali ela aguardará pelo próximo menino assustado que a retirará.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

BASTARIA POESIA

bastaria um gesto
uma ação
e a vida de muitos
mudaria de vez

bastaria uma palavra
dita
no momento certo
e o mundo seria outro —
melhor
talvez

bastaria um pensamento
uma ideia
para os universos paralelos
de cada um
se cruzarem
se unirem
em um só

bastaria poesia

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

O TOM BRANCO DA NEVE

na queda
a gente
se revela

no topo
todo mundo
acha gosto

na ascensão
ninguém percebe
o tom branco da neve