quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Até quando insistir?

E agora? O que fazer diante de vários pés-na-bunda? Eh, a situação tá feia, ou são as mulheres que estão mais exigentes, mais difíceis?? Não entendo bem. Sou persistente, sabe? Pareço-me muito com um camarada meu. Ele, na balada, quando avista a guria pretendida, chega junto, cola, abre aquele sorrisão e tece seu virtuoso xaveco. Entretanto, na maioria das vezes, toda vez, quero dizer, o cara toma toco. Mesmo assim, ele não desiste, persiste até o fim da balada, e não consegue nada. Algumas vezes investe em outra, e fica lá, colado, dança juntinho, quando consegue, uma conquista, mas não passa disso. Foi usado, consumido e dispensado, educadamente. Aí ele volta pro primeiro alvo. E toma mais e mais toco. O cara tá calejado. O cara é um herói. Quanto a mim, sou mais contido, calculista, só tomo atitude quando recebo um sinal, aquele olhar, sabe? Eh, só me aproximo quando vejo reais chances de conquista. Não aprecio ficar circulando pela casa em busca de alvos. Fico lá, de canto, dou uma andada ali, acolá, e quando há troca de olhares, aí sim abordo a guria. Ajo assim ao vivo, no mundo virtual é um bocadinho diferente. Lá, o negócio é mais burocrático. Curto trocar e-mails com as minhas conhecidas. Não são muitas, mas muito boas são. Escrevo-lhes mensagens criativas, sempre, ao desenvolver o pequeno texto, demonstro simpatia, bom-humor, educação e um pouquinho de malícia, afinal, ser interessante, provocar-lhes curiosidade é essencial. Mas, após muito tempo fazendo isso, de bom grado, não pra sacanear com elas, percebi que elas não gostam disso. Não sei bem o porquê. Acham-me um chato talvez. Escrevo muito certinho, ou muito diferente dos seus outros correspondentes. Posso estar exagerando, afinal, a maioria já estão de namorico, mas meu objetivo não é cortejá-las pra conseguir alguma coisa a mais, nada disso, só quero, gostaria de provar da sincera amizade delas. O que isso tem de imoral? Ou de suspeito? Nada! Mas enfim, acho que não vou mais insistir nisso aí. Até quando insistir? Cansei. Vou me dedicar às meninas da Augusta. Vou flertar descaradamente com as mulheres mais interessantes que eu já vi nesta minha vida citadina. Chega de burocracias pós-modernas! Vou me jogar e me lambuzar nessa zona de Sampa. Ah, antes de qualquer coisa, que fique bem claro, não estou querendo dizer aqui que as gurias da Augusta são mais fáceis, e não estou me referindo às outras mulheres de hábitos noturnos, o que quero dizer, e deixar aqui registrado é: creio que vale realmente a pena investir nas mulheres da Augusta. Mulher não é tudo igual! Acho que serei mais feliz com elas. Vamos ver então. Outro dia comento sobre, tá bem?