segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

O vampiro dos olhos verdes (3)

Bisbilhoto de soslaio
O casal de namorados
Que se pega do meu lado.

Eles não se intimidam,
Diante de tanta gente,
O clima entre eles é muito quente!

Mesmo eu bem próximo,
Os dois não se soltam,
Não se desgrudam,
Chupam-se e se mordem ao máximo!

Fico constrangido quando a mina,
De esguelha, olha-me desafiante,
Convidativa, insinuante!...
Aí, eu não resisto mais à resistência, aceito o desafio:

Afasto o namorado num gesto rápido
E tasco uma mordida,
Profunda e infinita,
No pescoço da pequena traíra.

E foi assim, meio que sem querer,
Mas querendo me satisfazer,
Que amaldiçoei outra alma...

Alma essa que não era nada inocente,
Mas muito consciente do que fazia,
Só lhe dei a minha rubra fantasia.