segunda-feira, 6 de junho de 2016

INVOCAÇÃO ANAL

Das terras de árvores retorcidas
Onde feias criaturas se tornam suicidas,
O sacrifício vira ato banal
Quando a bruxa banca a seccional.

Até mesmo o diabo passa mal
Ao ver tamanho empenho anal.
Secreções antes retrógradas abundam fluídas
Ao impacto da pica de veias torcidas.

Os assim chamados puros
Petrificados ficam diante dos apuros
Que vêm duros — cilíndricos e assimétricos.

Nem ex-padre, nem ditoso protético
Dará conta do invocado
Enquanto balançar mole o enforcado.