sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

frustração consciente, ou deu merda, e daí?

Pego uma folha em branco na esperança de escrever algo bom. Porém, no meu dilúvio interior, só sai coisa ruim. Mesmo assim, persisto no erro consciente, consciente da merda que vai dar. Ao término da contenda, avalio o resultado e, após uma pausa reflexiva, que dura poucos segundos, vocifero: que merda! A coisa toda já era prevista. Então por que insistir nisso? Ora, veja bem, da merda que fazemos, ora ou outra, sairá coisa boa. Só tentar encarar isso numa boa.