quarta-feira, 17 de maio de 2017

SUOR, SANGUE E LÁGRIMAS

Nada há fazer
Em pleno alvorecer.
Tudo já foi feito,
O que resta é lamento.

Lamúrias ao vento,
Pois não há mais julgamento.
Todos choram ao entardecer,
Pois não há o que comer.

Barriga inchada de verme,
Vazia de comida;
A noite é sem alegria.

Madrugada fria,
Vida sem saída,
Suor, sangue e lágrimas sobre e epiderme.