sábado, 8 de janeiro de 2011

Cuide-se.

Sempre achei estranha, meio que incômoda, deveras desagradável essa expressão. Cuide-se. O que isso quer dizer? Diz, dizem: cuide de você. Certo. Mas o que ela realmente quer dizer? Deixemos essa camada superficial gráfica e adentremos o tênue filete das entrelinhas. Mas primeiro vamos contextualizar. Pergunto: quando utilizamos essa palavrinha, hein? Pense bem. Quando a utilizam? Pense. Ao término de um relacionamento amoroso, certo? Bingo! Bem, será mesmo que a pessoa que nos escreveu isso – eh, estou me focando no objeto gráfico – quis nos dizer, de todo o coração, pra gente se cuidar? Será que ela ou nós mesmos quando rompemos rolos, queremos que a pessoa dispensada, outrora tão desejada, se cuide bem? Que fique bem, mesmo sem a gente? Sei não... Minha desconfiança persiste, por isso, acho tão estranha essa expressão, essa idiossincrasia tão típica de nós, Homens. Peguemos o mini-Aurélio pra nos elucidar, está lá, pequeninamente impresso no verbete cuidar v.t.d. 9. Ter cuidado consigo mesmo. E logo acima desse, no verbete cuidado sm. 1. Desvelo (1). 2. Responsabilidade (1). * interj. 3. Atenção, cautela. Não franze as sobrancelhas, e nem diga: - Ahn?! Lembre-se: é cuide mais – (hífen) mais se, e mais . (ponto). E esse se diz muito! É um pronome. Certo. Pronome reflexivo, pra ser mais preciso. Mas esse pronome é também um índice de indeterminação do sujeito. Tá. O sujeito é a pessoa dispensada, rejeitada, sabemos bem. Entretanto, quando o outro escolhe o hífen mais o se, e não o nome da pessoa chutada, ou seja, quando o omite, o oculta, e não escreve Fulano se cuida, por exemplo, está, também, o obliterando do seu discurso! Em outras palavras, está relevando, de forma consciente ou não, o seu desprezo pelo sujeito dispensado. É uma outra forma de humilhação, vai! Viu? Não é que ela, a pessoa que dispensou, a pessoa que chutou, é alguém que ainda tem consideração pela rejeitada, que ainda pensa no bem-estar da chutada. Nada disso! Está é esmigalhando a existência de outrem. Está eliminando-a ali mesmo, descaradamente, na derradeira frase. Cuide-se. E o ponto, logo posterior à partícula se, também é muito revelador! É ponto-final, ué! Aquele pontinho pequenininho está enfatizando o encerramento do caso amoroso, está decretando sua extinção. Aquele pontinho pequenininho é um tiro certeiro no coração jogado fora. Eh isso, por ora. Concorda? Não? Escreva aí abaixo o que tu pensas.