quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Liberte o galinha que há em você

- Meus filhos, vivemos tempos difíceis, tempos imprevisíveis. O mundo não é mais como era antigamente. Vivemos uma era cuja renovação se faz necessária, cada vez mais necessária. Estes novos tempos demandam novas atitudes. Precisaremos de muita força espiritual para ajudar, para contribuir para com esta transformação mundial. Atualmente vivemos uma Era do Caos. E, sabemos bem, que depois do Caos surge uma Ordem, surge o princípio da vida e de todo o resto. Nossos atuais sofrimentos acabarão neste novo dia que se aproxima. Ninguém aqui ficará mais sozinho quando a Nova Ordem se manifestar. Dias prósperos se tornarão frequentes. A Solidão se extinguirá. O mundo que conhecemos não mais existirá quando vocês, e todos os demais semeadores desta terra, libertarem o galinha que há em cada um. O velho mundo está com seus dias contados. Falta pouco para ele se tornar passado – passado hipócrita do bom relacionamento entre os gêneros. O futuro é libertino! O futuro é o cafajeste do umbigo. O futuro é o cachorro orgulhoso bem alimentado. O futuro é o tarado do seu lado. Este tempo mesquinho de hoje se findará logo. O tempo opulente do amanhã se tornará constante graças à ideia de compartilhamento que vigora: o que é meu é seu também, o que é nosso é de todo mundo. Amarras e mordaças não mais existirão. O novo mundo que se aproxima é de libertação! Esqueçam tudo que vocês aprenderam. Esqueçam os conceitos, pré-conceitos, que a nossa cultura nos ensinou. Sigam vossos instintos; sigam aquilo que vós tendes no recôndito mais fundo de vosso ser; sigam vossos desejos mais ocultos, mais íntimos. Falta pouco pro mundo que conhecemos acabar. Não há mais tempo a perder. Temos que libertar o galinha que existe cá dentro da gente. Libertem o verdadeiro alter ego de vós mesmos. Deixem esse galináceo alçar voo e sair bicando todas as pequenas que aparecerem por aí. Sigam a verdadeira natureza de vós. Esqueçam os chifres dados e recebidos; esqueçam dos pés na bunda; esqueçam a possibilidade de serem pretendentes; sejam um cafajeste presente! Mostrem a pegada de suas patas. Arrastem asa aí afora. O mundo acabará, previu um maia aí, mas vocês não precisam se acovardar por causa disso. Não! A causa aqui é por algo maior. Nosso destino é gozar sem remorso. Consequências não existem num mundo pós-apocalíptico. Se já estamos danados, meus filhos, que a pegação se inicie. Devorai a carne com gosto! DEVORAI A TODAS!!!