terça-feira, 10 de abril de 2012

PINK RABBIT THINKS

Inaugurando o I ABRIL PARA TODOS deste blog, resolvi dividir com vocês não apenas mais um texto, mas mais uma idéia suja. Que na verdade, de suja não tem lá muita coisa essa idéia, a coisa em si sim é coisa curiosa, ainda mais pra quem, no caso eu, nunca fez tal coisa assim. Entendeu? Não?? Explico-me: eu e meu broto estamos numa boa.  Cada um por si e para o outro assim sem grandes esforços. Curtimos atualmente a melhor fase do nosso relacionamento promíscuo e saudável. Sem excessos e recessos. Pois bem, ultimamente ando tarado por uma idéia, essa idéia é mais uma vontade do que propriamente uma idéia, é uma curiosidade. Uma curiosidade em relação à ação de me introduzir no cuzinho dela. Coisa essa mui discutível, bem sei. Coisa que pode muito bem pôr tudo a perder se não houver uma conversinha antes; acordos são necessários, cê tá ligado. Admito que dei minhas investidas com a pequena, mas, com ela, tentei ser mais discreto, mais dissimulado... Totalmente o oposto como estou sendo contigo, amigo leitor. Pois, cê sabe, entre nós não há essas coisinhas de tratamento delicado. Entre a gente o negócio é mais escrachado, direto, mais assim no meio da fuça mesmo. E não se assuste! Não tô interessado no seu cuzinho, já lhe aviso. Mas voltemos à idéia suja. Eu estava super afim de praticar mais essa modalidade introdutória. Curto pra caramba bocas e bucetas, mas eu estava louco de curiosidade; eu estava na maior fissura de um cuzinho comestível. Eu pulsava de desejo! Já ouvi dizer, e acho que até concordo, que o prazer de uma boa buceta é insuperável, pois tem lubrificação, aquecimento próprio e coisa e tal, mas cu é cu, porra! Só em imaginar eu ali arrombando aquele lindo orifício, fico doido. Doido de curiosidade. Eh, a patroa não liberou, ainda. Mas isso é questão de tempo. E isso é certo, pois a danada anda se informando. Já andou até me dizendo coisas de cunho profissional, coisas qu’eu já sabia, confesso, mas fico mais e mais otimista quando ela me vem com outra “novidade”. Uns aí podem achar que ela tá me iludindo, me enganando a suaves prestações. Mas eu confio nela; confio que um dia ainda enfio nela, com gosto e com carinho, é claro. Não sou assim tão abominável. Pô, dizem que sou bonitinho, uma gracinha. Tem muito homem por aí que paga mó pau só em me ver, rosa e reluzente. Sou vibrador dos bons. Sou o consolo que faltava pra você, mulher casada ou solteira, e com um precinho deveras camarada. Aproveite!